29 de setembro de 2017 betel

Você sabe utilizar a iluminação de forma correta?

Sendo natural ou artificial, a iluminação certamente é um dos elementos de grande importância na arquitetura. Ela pode modificar ambiente por meio dos efeitos de luz que se diferencia através dos momentos do dia. Os efeitos de luz podem afetar o humor de cada um, deixando uma pessoa mais agitada ou mais calma.

 

Para a iluminação artificial é importante destacar que ela é diferente dependendo do cômodo da casa em que será utilizada. Cada lâmpada apresenta diferença em sua temperatura de cor, que pode proporcionar conforto ou desconforto para o ambiente, dependendo da forma que for utilizada.

Uma grande dica é o uso de lâmpadas dimerizáveis na área interna. Elas são lâmpadas em que se pode regular a intensidade do brilho, gerando economia de energia e alterando a aparência visual e clima de seus ambientes. Já para as áreas externas, como fachadas, é essencial fazer um bom uso da iluminação, para que seja fácil de visualizar no período noturno, dando um destaque para aquela área.

A melhor iluminação

Um sistema de iluminação apropriado, com as devidas cores e contrastes, contando com a escolha da melhor lâmpada ou luminária garante o bem-estar e um ótimo visual para o cômodo escolhido, influenciando também na qualidade de vida e até na produtividade dos seus moradores.

 Para conseguir o melhor efeito visual é preciso utilizar lâmpadas que produzam melhor às cores e também aquelas que evitem o ofuscamento. É necessário lembras que a luz mais apropriada para os nossos olhos é a natural. Esta luz pode ser explorada através da utilização inteligente de janelas, portas e claraboias, por exemplo, sempre levando em consideração a posição do sol.

Ao posicionar sua iluminação, devem ser utilizados diversos focos de luz e não só um ponto único. Também é preciso evitar superfícies que sejam muito refletoras, é bom fazer uso das luminárias com barreira entre os olhos, e a fonte luminosa e nunca colocar essa fonte na sua linha de visão

  1. Para a Iluminação de jardins: evite luminárias com focos de luz na altura dos olhos do observador; modelos menores e com proteção de vidro opaco são indicados.
  2. Para a Iluminação geral de ambientes: opte por plafons com acabamento opaco / semi-transparente ou lustres com efeito de iluminação indireta.

 

  1. Para a Iluminação de destaque:luminárias direcionáveis podem valorizar paredes e objetos sem causar ofuscamento.

Cores das lâmpadas

A temperatura da cor ou, em outras palavras, a cor da lâmpada faz diferença na sensação transmitida pelo espaço em que está. Em alguns casos é interessante combinar cores diferentes para serem adaptadas de acordo com a tarefa realizada no local.

  1. Brancas: São ótimas para áreas grandes e para local de trabalho. É comum ver essa utilização em comércios e indústrias de grande porte. Temperatura de cor: de 3.000 a 6.000K.

 

  1. Amareladas: São ótimas para utilização em salas e quartos de dormir, porque trazem uma sensação de tranqüilidade e conforto. Temperatura de cor: igual ou inferior a 3.000K;

 

Textura e cor do ambiente

A textura e a cor dos objetos e das paredes do cômodo influenciam de forma direta o efeito da luz. Pensando nisso é importante ficar atento quando for fazer a sua iluminação de interiores.

 

  1. Cores: As cores escuras absorvem a luz, já as cores claras a refletem.
  2. Superfícies com textura: diferente das superfícies lisas, as superfícies com efeitos elas refletem menos a luz. Já as lisas podem criar reflexos causando ofuscamento.
  3. Vidros: eles têm índice de reflexão nulo, enquanto espelhos têm índice de reflexão total.

 

O uso de LED

A utilização de lâmpadas de LED traz economia e versatilidade, tendo uma grande vida útil e exigindo pouca manutenção. Elas resistem a vibrações e impactos e sua necessidade de troca ocorre em torno de 50 mil horas de uso, tendo uma grande durabilidade.

Esse modelo tem eficiência semelhante às lâmpadas fluorescente, permitindo ajustar a emissão, tornando a intensidade da cor mais saturada e viva.  l

Um destaque é poder colocar o LED em efeitos de decoração, destacando os objetos do local e também criando cenários. Isso sem contar com a economia de luz que fica em torno de 75% a 95%, pois a energia consumida é revertida em iluminação e não em calor.

– Lâmpada incandescente 60 W : luminária LED de 4,5 W com economia de 55,5 W/hora.

– Lâmpada fluorescente tubular de 40 W :
 luminária LED de 18 W com economia de 22 W/hora.

– Lâmpada dicroica 50 W :
luminária LED de 6 W com economia de 44 W/hora.
Além disso, as lâmpadas LED são recicláveis, o que proporciona benefícios ao meio ambiente. Em comparação com as lâmpadas fluorescentes e as de sódio que contém mercúrio, as lâmpadas de LED levam vantagem.

Agora que você já conhece alguns truques de iluminação e de economia de energia, procure utilizar essas alternativas para atender seu estilo de vida e deixar seu lar mais belo, econômico e confortável.

 

Você também pode gostar